Notícias

Caminhoneiros rumo ao Mané Garrincha

Caminhoneiros deixam a BR-040 em direção ao Estádio Mané Garrincha, em Brasília. No Estádio Nacional, já estão estacionados mais de 20 veículos desde o início da manhã; a manifestação é pacífica. Deputados Federais estão solidários com os grevistas.
Rodolfo Costa e Simone Kafruni | CORREIO BRAZILIENSE
03 de março de 2015 às 14:21
Cerca de 23 caminhoneiros do Rio Grande do Sul e Santa Catarina chegaram ao estacionamento do estádio Mané Garrincha entre a madrugada e a manhã desta terça-feira (3/3). Alguns acompanhados de esposa e filhos estão no local com escolta da Polícia Militar. Não há registro de tumulto ou confusão. Outros 20 caminhoneiros já saíram da BR-040, a caminho do estádio. Os grupos vão se encontrar ainda hoje, em frente ao estádio.  


Eles levantam bandeiras por melhores rodovias, fim da corrupção, redução do diesel, valorização dos fretes e menor custo nos pedágios. A estimativa da polícia é de que cheguem ao DF cerca de 100 veículos. 


Os trabalhadores que estão a caminho do Mané Garrincha são escoltados pela Polícia Militar de Goiás e Polícia Rodoviária Federal (PRF). A força-tarefa entre os serviços de segurança é para garantir a legitimidade do movimento dos caminhoneiros. O deputado federal Fraga (DEM-DF) conseguiu liberação para que os caminhoneiros utilizem os banheiros do estádio.


No início da tarde desta terça-feira, os caminhoneiros devem se reunir no Congresso Nacional com seis deputados que apoiam a causa, para saber quais atitudes serão tomadas pelo governo.


O comandante do Batalhão de Trânsito da Polícia Militar (BPTran) do DF, tenente-coronel Evaldo Soares, afirma que o objetivo é acompanhar o protesto. “Não sabemos ao certo o que eles vão fazer, mas desejamos que seja formada uma liderança para facilitar qualquer negociação”, destacou Soares. 


O deputado federal Osmar Terra (PMDB-RS) está no local e lembrou que o parlamento está preocupado em dar um desfecho feliz para o ato dos caminhoneiros. “Eles não podem ser tratados a bombas e pauladas. Queremos que o governo reabra negociação com eles. Até lá não votaremos ajuste fiscal ou qualquer outra coisa”, avisou Terra. 


Segundo o deputado, o governo deve entender a gravidade do protesto. Ele assegura que animais estão morrendo em propriedades rurais, pela falta de abastecimento de rações. "Vivemos uma crise moral e ética. O Planalto não tem autoridade para endurecer com quem tenta trabalhar pelo país", disse.


Leia mais e assista ao vídeo em:

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2015/03/03/internas_economia,473664/policia-escolta-caminhoneiros-no-estacionamento-do-mane-garrincha.shtml


Saiba mais:

http://darcisioperondi.com.br/deputados-negociam-e-caminhoneiros-conseguem-entrar-em-brasilia/

Sou associado
E-mail ou Usuário(ID):
Senha:
Fórum da AUDITAR
 
Consultoria Jurídica
Twitter   Facebook   RSS
AUDITAR © 2019
Total de visitas: 4.872.809 (Desde 06/2010)